Robert Frost por Lucas Zaparolli

TRADUÇÃO VOLUME 5 NÚMERO 2


Library of Congress. New York World-Telegram & Sun Collection.


FIRE AND ICE


Some say the world will end in fire,

Some say in ice.

From what I've tasted of desire

I hold with those who favor fire.

But if it had to perish twice,

I think I know enough of hate

To know that for destruction ice

Is also great,

And would suffice.



FOGO E GELO


Um diz que o mundo acaba em fogo,

Outro diz gelo.

Do que provei de ardores, logo

Fico com o que é pelo fogo.

Mas, perecesse outra vez, pelo

Tanto de ódio que tenho visto

Vi que pra destruição o gelo

É igual sinistro,

E vai perdê-lo.


(trad. Lucas Zaparolli de Agustini)




CHAMA GELADA


Falam que o mundão acaba em chama,

Falam que em gelo.

De tanto ardor que nos inflama

Apoio quem é a favor da chama.

Mas se outra vez puder perdê-lo,

Com tanto que conheci de ira

Sei que pra destruição o gelo

Há quem prefira

Só pra f...ê-lo.


(tradutor anônimo)



CACHAÇA E GOLDEN SHOWER


Diziam quem cagou no mundo foi o Lula,

Agora que foi o Bozo.

Não que uma coisa outra anula,

Mas sou dos que temiam o Lula.

Agora se tudo ferrasse de novo,

Acho que já vi bastante bosta

E é óbvio que de destruição o Bozo

Gosta,

Basta, perigoso.


(paródia de autor anônimo)



Há exatos cem anos, em 1920, Robert Frost (1874 – 1963), um dos mais importantes escritores norte-americanos do século XX, único poeta a vencer quatro prêmios Pulitzer, pensava acerca do fim do mundo, tema que permeia o imaginário popular também em 2020, e compôs um de seus mais famosos poemas, “Fire and Ice”, publicado em dezembro de 1920 em Harper Magazine, a partir daí então em infindáveis antologias e ainda no livro que lhe rendeu seu primeiro Pulitzer, New Hampshire, de 1923.


Apresentam-se aqui uma tradução, que buscou dar conta do sentido, da métrica e da rima, e ainda uma adaptação e uma paródia, ambas logradas por tradutores anônimos.

Outras traduções podem ser encontradas no meio virtual, não tantas quanto o poema merece, e aí vai só uma tentativa. Trabalho melhor foi feito pela amiga Ana Gambarotto, em sua dissertação, com a recente tradução integral do primeiro livro de Frost, A Boy’s Will.


Tradução e nota: Lucas Zapparoli

revista zunái
  • Facebook Revista Zunái

© 2020 Revista Zunái