Mostra de Poesia Visual: Ricardo Corona



 

Ricardo Corona (Curitiba, 1962). Poeta, tradutor, performer e editor. Mestre em Estudos Literários (UFPR, 2010) e sua área de atuação está voltada para a poesia contemporânea brasileira e hispano-americana, estudos de relação entre as áreas artísticas (performance, poesia sonora, artes visuais), tradução, curadoria, linguagem e cultura. Em 2020 ganhou o prêmio “Trajetória” e com seu livro inédito Nuvens de bolso (no prelo) o prêmio “Outras palavras”. É autor dos livros Cinemaginário (1999, 2ª. edição 2014), Tortografia (2003), Corpo sutil (2005), Curare (2011), Ahn? [Abominável homem das neves] (2012), Mandrágora (2017). Alguns de seus livros foram traduzidos e/ou publicados no México, Portugal, Espanha e Paraguai. Traduziu, em parceria com Joca Wolff, os livros Momento de simetria (2005) e Máscara âmbar (2008), de Arturo Carrera; traduziu, Livro deserto (2014) e Palavrarmais (2017), de Cecilia Vicuña; e, traduziu ainda, Meidosems, de Henri Michaux (2022). Organizou as antologias Outras praias (1997) e Fantasma civil (2011). Performances: Desmanche (Paço da Liberdade - SESC, 2018 e na 34a. edição do p.ARTE - Mostra de Performance Art, Bicicletaria Cultural, 2016), Eles no mato eles (Saguão da UFPR, 2017), Meidosems (Casa Hoffmann, 2014, com Eliana Borges) e Carretel curare (Tardanza, 2011).

17 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo