2 poemas de Raquel Campos



1.

por onde este corpo passou decidiu-se esvaziar do todo

despindo-se de sentidos transitórios transverbais intersemióticos

deixou-se – pele nua na varanda – uma assombração lânguida agreste e ressequida

que já nem sabe bem falar com suas varizes e seus inchaços veias – agora – nítidas

cansaços acumulados desejos resguardados e impossíveis de alcançar



2.


eles amam como se odiassem e odeiam como se amassem não distinguem os cheiros das flores nem cumprimentam os pássaros fazem tudo de sangue no mundo (menos o perdão)

seriam mais felizes se não




Raquel Bernardes Campos

Professora de Teoria Literária/ Unesp (Assis) - Substituta

Pós-doutoranda em Estudos de Literatura/ Universidade Federal de São Carlos

107 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo